avozmissionaria@hotmail.com

Pesquisar este blog

Postagem em destaque

Nove entre dez brasileiros atribuem a Deus sucesso financeiro

Nove entre dez brasileiros dizem que seu sucesso financeiro se deve a Deus, mostra pesquisa Datafolha. A porcentagem supera 90% ent...

E o dia fugiu pra não ver a morte do Justo. 

- Já era quase meio dia, e trevas cobriram toda a terra até às três horas da tarde; o sol deixou de brilhar. E o véu do santuário rasgou-se ao meio. Jesus bradou em alta voz: "Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito". Tendo dito isso, expirou, São Lucas 23.44, 45 e 46.

Após comemorar a Páscoa com seus discípulos, Jesus foi orar no monte das Oliveiras, quando foi entregue por Judas aos inimigos.
Depois de julgado pelo sumo sacerdote,  entrevistado por Pilatos e por Herodes, enfrentou o calvário, padecendo as agruras da morte, e isso por mim e por você. O momento foi de tanto sofrimento que a natureza expressou seu protesto. Mas Jesus não fugiu a sua missão.

Então, precisamos correr para cruz.
Carloman Octaviano - Natal / RN / Brasil

Atendamos o desejo de Jesus.

- E disse-lhes: "Desejei muito comer esta Páscoa com vocês antes de sofrer. - Pois eu lhes digo: Não comerei dela novamente até que se cumpra no Reino de Deus". São Lucas 22.15 e 16

Próximo a consumação de seu sacrifício, Jesus aproveitou o momento para celebrar sua última Páscoa juntamente com seus discípulos, e na oportunidade antecipou seu sentimento de saudade com uma expressão que me encanta: "desejei muito comer com vocês . . ." Comer juntos é coisa de intimidade, e ainda hoje, tudo que Jesus deseja é ter intimidade conosco. Por isso Ele disse: "Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo." Apocalipse 3.20.

Espere um momento, estão batendo e vou abrir a porta! 
Carloman Otaviano - Natal / RN / Brasil

Enquanto mantemos nossas esperanças nos bens terrenos . . .

- Estejam sempre atentos e orem para que vocês possam escapar de tudo o que está para acontecer, e estar de pé diante do Filho do homem", São Lucas 21.36.

Em quase todo o capítulo 21, Lucas relata a preocupação de Jesus em que seus discipulos estivessem preparados para o desfecho de Sua missão: - Seu retorno a terra, para levar Sua Igreja, para estar com Ele para todo o sempre. Mas o evangelho proclamado hoje é o que acende a esperança da humanidade na busca pelo bens terrenos. Todavia é importante lembrar que os bens terrenos ficarão aqui quando nos encontrarmos com o Senhor. Então devemos nos preparar, pois a qualquer momento pode acontecer o "retorno", e . . .

Que o Senhor nos encontre prontos para subir com Ele!
Carloman Otaviano - Natal/RN/Brasil

O Príncipe nasceu!

"Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz." - Isaías 9.6

Não se sabe ao certo a data de seu nascimento,  mas o que se sabe com certeza é que Ele nasceu. Numa noite clara e estrelada surgiu no céu uma estrela de um brilho intenso, indicando o nascimento de um príncipe. Aliás, muito mais do que de um príncipe, pois se tratava do nascimento do REI, o Rei do universo, o Emanuel, que chegava à terra para trazer Luz aos que estavam na escuridão, Liberdade aos cativo do pecado, e Salvação a todos os que se encontravam e se encontrem perdidos. 
A bem da verdade, era o Cordeiro de Deus que chegava ao mundo,  para entregar a sua vida,  por mim e por você, que foi morto e ressuscitou e agora está ao lado direito de Deus, intercedendo por nós! 

Que o Rei dos reis, todos os dias, renasça em nós!
Carloman Otaviano - Natal / RN / Brasil

Quando, é coisa de Deus; mas o como estamos, é coisa nossa!

- "Mestre", perguntaram eles, "quando acontecerão essas coisas? E qual será o sinal de que elas estão prestes a acontecer? ", São Lucas 21.7.

A volta de Jesus, conforme prometido em S. João 14.3, pode acontecer a qualquer momento. 
Mas o interessante é que da mesma forma que os discípulos se preocupavam com o quando, os seres humanos hoje, continuam com a mesma preocupação. Ocorre que muito mais interessante do que se preocupar com o QUANDO, devemos é nos preocuparmos em COMO estamos para o grande encontro. Deixando o quando por conta de Deus, cuidemos em como nos preparar para nos encontrarmos com Ele. (Felizes os que lavam as suas vestes no sangue do Cordeiro, para que tenham direito à árvore da vida e possam entrar na cidade pelas portas - Apocalipse 22.14).

Maranata, Ora vem Senhor Jesus!
Carloman Otaviano - Natal/RN/Brasil

Ressurreição dos mortos; eu creio nisso!

- Mas os que forem considerados dignos de tomar parte na era que há de vir e na ressurreição dos mortos não se casarão nem serão dados em casamento, e não podem mais morrer, pois serão como os anjos. São filhos de Deus, visto que são filhos da ressurreição, São Lucas 20.35 e 36

O que primeiro aprendemos aqui é que a vida não acaba quando o espírito do homem se separa do corpo. Com sua morte na cruz e sua ressurreição, Jesus inaugurou o paraíso, para onde vão os que morrem crendo e aceitando o sacrifício do Calvário (basta lembrar do ladrão da direita), até que aconteça a ressurreição. Outra coisa que aprendemos, é que no mundo vindouro teremos um corpo igual ao dos anjos (assexuados). Todavia o que chama mais atenção no texto é: "Mas os que forem considerados dignos . . .".  Para melhor entendimento da expressão em destaque é preciso ler São João 3.16.
Não é necessário fazer nenhum sacrifício para escapar da morte eterna pois Jesus já o fez, por mim e por você. Basta apenas crê.

Shabat Shalom! (feliz sábado)
Carloman Otaviano - Natal/RN/Brasil

Não profanemos a casa de Deus!

- Disse-lhes: "Está escrito: 'A minha casa será casa de oração'; mas vocês fizeram dela 'um covil de ladrões'", São Lucas 19.46.

Quando Deus instituiu o Tabernáculo e posteriormente o Templo para lugar de culto e de adoração, queria que o povo tivesse um lugar específico para isso. Mas conhecendo o coração do homem, Ele sabia que esse homem transformaria Sua casa em local de obtenção de lucro pessoal. Então Ele instituiu o próprio homem como Seu verdadeiro templo. Por isso que o apóstolo Paulo disse: "vós sois o templo de Deus!". (1Co 3.16). Conscientes disso, devemos ter cuidado para não contaminar o templo do Senhor, que somos eu e você (espírito, alma, e corpo). 

Que o Espírito Santo nos ajude a mantermos limpo o Seu lugar santo! 
Carloman Otaviano - Natal/RN/Brasil

O Rei do universo montado em um jumentinho?

Ao aproximar-se de Betfagé e de Betânia, no monte chamado das Oliveiras, enviou dois dos seus discípulos, dizendo-lhes: "Vão ao povoado que está adiante e, ao entrarem, encontrarão um jumentinho amarrado, no qual ninguém jamais montou. Desamarrem-no e tragam-no aqui", São Lucas 19.29 e 30. 

Jesus sempre entrou em Jerusalém com discrição. Só que essa seria sua última entrada, pois sabia que havia chegado a hora de concluir a missão para a qual fora enviado pelo Pai. Então dessa vez era uma espécie de despedida antes de entregar sua vida pelos homens. Mas como Rei que era, não devia ter mandado os discípulos providenciar um animal mais pomposo, como um cavalo branco, forte,  majestoso? Mas escolheu um modesto jumentinho, pois entrava na cidade como um rei-cordeiro, que entregava sua vida como sacrifício a Deus por mim e por você. E assim ele cumpriu sua missão nos deixando mais uma lição de humildade. 

Que possamos entender e imitar esse comportamento do Mestre! 
Carloman Otaviano - Natal / RN / Brasil

Multiplicando o pouco para receber o muito.

Ele disse: "Um homem de nobre nascimento foi para uma terra distante para ser coroado rei e depois voltar. Então, chamou dez dos seus servos e lhes deu dez minas. Disse ele: 'Façam esse dinheiro render até à minha volta',
São Lucas 19.12 e 13.

Dez servos, dez minas; uma mina para cada servo. Mas esperem, o valor de uma mina é muito pequeno. Para se ter ideia, sessenta minas equivale a um talento. Comparando a parábola das minas com a dos talentos, veremos que na primeira um servo recebeu apenas uma mina, e com esta produziu dez minas a mais (1000 %) e na dos talentos um servo recebeu cinco (300 minas) e produziu mais cinco (100 %). À vista dos homens, vale mais quem possui mais, mas para Deus, vale mais aquele que tem a capacidade de produzir mais, mesmo que tenha recebido pouco. 
Sendo assim, experimentemos multiplicar o que Deus nos confiou, mesmo que pareça de pequeno valor. Um dia todos seremos chamados para prestação de contas, e tudo o que o Senhor está querendo dizer é: "servo bom e fiel, multiplicaste o que parecia ser de pequeno valor. Foste fiel sobre o pouco, então te colorei sobre o muito!"

Tenhamos todos uma semana de bênçãos multiplicadas!
Carloman Otaviano - Natal/RN/Brasil

Eu apenas queria vê-lo!

Assim, correu adiante e subiu numa figueira brava para vê-lo, pois Jesus ia passar por ali. Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e lhe disse: "Zaqueu, desça depressa. Quero ficar em sua casa hoje", São Lucas 12.4 e 5

Zaquel era um homem importante dentro do contexto em que vivia. Só que de repente surge no cenário um personagem muito mais importante, e ele desejou muito vê-lo. É possível que tenha pensado: "se eu não fosse considerado um traidor por colaborar com os romanos, o convidaria para jantar lá em casa..., mas espere, eu posso pelo menos vê-lo, enquanto caminha pelas ruas da cidade". Com esse pensamento correu para ver Jesus, e quando estava quase conseguindo seu desejo, deparou-se com uma grande dificuldade - muita gente cercava o Mestre e Zaquel era baixinho. Ele não desistiu, e numa decisão rápida, SUBIU em uma árvore para finalmente ver Jesus quando passasse. Só que para sua surpresa, quando o Senhor chegou embaixo da árvore, parou, olhou para e disse: "Zaquel, DESCE, e faz isso depressa, porque hoje Eu quero ficar em sua casa!".
Muitos ainda hoje, desejam ter um encontro com Jesus, e tentam isso de forma equivocada. Pensando poder fazer isso seus próprios recursos, acreditam mesmo que conseguirão, quando Jesus Cristo está olhando para ele e dizendo: "meu filho, DESÇA, por Eu quero ir para sua casa..., apenas abra a porta e me deixe entrar!

Que o Senhor Jesus encontre pousada em nossos corações!
Carloman Otaviano - Natal/RN/Brasil

Eu apenas quero ver!

- "O que você quer que eu lhe faça?" "Senhor, eu quero ver", respondeu ele. - Jesus lhe disse: "Veja! A sua fé o curou", São Lucas 18.41 e 42

Para entendermos o insistente pedido do filho de Timeu, devemos experimentar fechar os olhos,  colocar uma venda preta neles, logo que acordarmos. Com certeza a escuridão será insuportável. Para aumentar a experiência, vamos ficar assim durante pelo menos as seis primeiras horas do dia. E que tal sairmos à rua, quem sabe ir comprar o pão para o café da manhã. Se for numa manhã de verão aqui em Natal/RN, sentiremos o calor do sol, mas não veremos o sol;  ouviremos algum comentário sobre a beleza da manhã, também não a veremos; e na padaria, onde o pão?
Essa era a situação de BarTimeu. Mas de repente ele escuta um tropel perto de onde estava e soube que era Jesus que passava. Não pensou duas vezes, e começou a clamar: "Jesus, Filho de Davi tem misericórdia de mim!" E Jesus atendeu o seu clamor.
Caso você esteja numa situação parecida com a de BarTimeu, e não está vendo nenhuma saída para a mesma, apenas clame a Jesus, o Filho de Deus. Sim, mas seja insistente no clamar, seja específico no pedido, e fazendo isso com muita fé em Deus, você verá o resultado.

Que o Todo Poderoso escute e atenda ao nosso clamor!
Carloman Otaviano - Natal/RN/Brasil

Mas o que será mesmo que ele está dizendo?

Jesus chamou à parte os doze e lhes disse: "Estamos subindo para Jerusalém, e tudo o que está escrito pelos profetas acerca do Filho do homem se cumprirá. Ele será entregue aos gentios que zombarão dele, o insultarão, cuspirão nele, o açoitarão e o matarão. Mas no terceiro dia ele ressuscitará", São Lucas 18.31 a 33.

Próximo de consumar a missão para qual fora enviando à terra, Jesus chamou seus discípulos e anunciou o maior milagre que realizaria quando chegassem em Jerusalém: "sua morte e ressurreição, cuja finalidade era resgatar o ser humano da morte eterna para vida eterna". E os discípulos não entenderam, ou não talvez não quisessem entender, mas aconteceu. Chegando em Jerusalém, prenderam, massacraram e mataram nosso Senhor, que ao terceiro dia ressuscitou; como predissera. A própria Vida, dando sua vida para que eu e você pudéssemos ter vida, vida eterna. Mas assim como os discípulos, muitos ainda hoje parecem não entender quem fez o sacrifício, quem foi o sacrifício, para que foi o sacrifício. Se sabemos que foi Jesus quem fez o sacrifício, por que honrar a outrem? Se Ele foi o próprio sacrifício devemos dar-lhe o devido valor. E se conhecemos a finalidade do sacrifício, aceitemo-lo!

Que Deus abra nossa mente para que entendamos e aceitemos esse grande sacrifício que foi feito por nós!
Carloman Otaviano - Natal/RN/Brasil

Trocando as riquezas infinitas pelos bens terrenos!

Ao ouvir isso, disse-lhe Jesus: "Falta-lhe ainda uma coisa. Venda tudo o que você possui e dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro nos céus. Depois venha e siga-me".
Ouvindo isso, ele ficou triste, porque era muito rico, São Lucas 18.22 e 23.

Todas as vezes que leio sobre o jovem rico, tenho tristeza por não saber se quando chegar no céu, o encontrarei lá. Aquele jovem era muito rico, era um bom religioso, cumpridor da lei, era o que hoje podemos chamar de um bom cristão. Só que não tinha ideia de como seria sua vida após a morte. Ele desejava uma eternidade com Deus, mas não sabia como alcançar. Então se dirigiu a pessoa certa, Jesus, que de forma muito direta deu a receita para se alcançar a vida eterna. Mas a receita que recebeu do Mestre não foi bem entendida, e ele afastou-se triste.
Será que Jesus estava dizendo que para se alcançar a salvação a pessoa tem que ser pobre? Com certeza não era isso! O que Senhor estava dizendo era que para se alcançar a salvação não se deve ter amor aos bens terrenos. E isso é entendido quando lemos o versículo 29, do mesmo texto.

Que o nosso amor a Deus esteja acima do amor a qualquer coisa da terra!
Carloman Otaviano - Natal/RN/Brasil

Auto-justificação - não tem qualquer valor para Deus!

Dois homens subiram ao templo com o propósito de orar: um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, posto em pé, orava de si para si mesmo. O publicano, estando em pé, longe, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!, São Lucas 18.10, 11a e 13.

A oração do fariseu era feita de si para si mesmo, era uma oração orgulhosa, que exaltava a si próprio (EU sou diferente, sou justo, honesto, crente, jejuo, contribuo). Já o publicano (cobrador de imposto para Roma), se reconhecia pecador, e com uma postura humilde, ficou distante do templo, sem sequer olhar para o céu clamava pela misericórdia de Deus. E Jesus afirmou que ele foi casa justificado, enquanto que o fariseu voltou como chegou (pensando que era justo).
Confesso que fico sem entender como, ainda hoje existem pessoas que se acham justos, mais santos do que outros, as vezes até insinuando que com seus atos de justiça garantem a salvação. Devemos sim, reconhecer nossas limitações e fraquezas, e como o publicano rogar ao único que pode nos justificar: "Senhor tenha misericórdia de mim!"

Feliz semana para todos!
Carloman Otaviano - Natal/RN/Brasil

Andar olhando para trás é coisa de criança!

Lembrai-vos da mulher de Ló, São Lucas 17.3

É comum andarmos pela rua e ver uma mãe puxando o filho pequeno pelo braço e dizendo: "meu filho olhe pra frente!". É possível entender o comportamento da criança, pois curiosidade faz parte de sua vida.

Mas um adulto que vive olhando para o passado, se alimentando das coisas passadas, se lamentando pelo que fez ou deixou de fazer, não parece ser muito inteligente.

Independente do credo religioso, creio ser interessante conhecermos a história da mulher de Ló, então entenderemos porque Jesus nos aconselhou a lembrar dela. Durante um bom tempo ela e seu marido viveram como nômades, mudando de um lado para outro, em busca de uma terra que Deus prometera ao seu tio-sogro Abraão. Mas um dia, por falta de espaço, precisaram se separar do tio e findaram indo morar em Sodoma. Cidade próspera, onde comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas uma cidade que podemos entender como império do mal.

Só que para Ló e sua família parecia está tudo bem. Mas de repente chega à sua casa dois enviados de Deus e diz: "saiam dessa cidade, corram para bem longe, e NÃO OLHEM PARA TRÁS, pois esta cidade vai ser destruída". A mulher de Ló, suas filhas e seu marido obedeceram a orientação dos anjos. Só que ela obedeceu em parte, pois no meio da fuga olhou para trás e . . .

Por isso o apóstolo disse aos Filipenses: "mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, (Fp 3.13)".

Seguindo o conselho de Jesus e imitando a atitude de Paulo, alcançaremos o bom futuro que nos aguarda.

Shabat Shalom! (tenha um feliz sábado)

Carloman Otaviano - Natal/RN/Brasil

Mas, onde estão os nove?

Um deles, quando viu que estava curado, voltou, louvando a Deus em alta voz. Prostrou-se aos pés de Jesus e lhe agradeceu. Este era samaritano. Jesus perguntou: "Não foram purificados todos os dez? Onde estão os outros nove?, São Lucas 17.15 a 17.

Ingratidão - característica da pessoa ingrata; atitude de quem não reconhece o bem que lhe foi oferecido nem a ajuda que lhe foi concedida.

Ingratidão - atitude enfrentada por Jesus da parte daqueles que o rodeavam. Seus conterrâneos, seus compatriotas, pessoas a quem Ele curava, alimentava, libertava, e que na maioria das vezes, sequer diziam "obrigado", como os nove leprosos.

Jesus enfrentou a ingratidão de um discípulo de confiança, que o traiu entregando-o à morte. Enfrentou a negação de um outro que afirmou que estaria com Ele até a morte. Enfrentou a rejeição da multidão que dias antes queriam proclama-lo rei.

Enfrenta o esquecimento de Carloman, a quem diariamente abençoa, cura, perdoa, consola . . . E de você Ele enfrenta . . ., bem, de você somente você pode falar.

Que neste dia possamos aguçar nossas mentes, e como o salmista, lembrar de todos os benefícios recebidos do Senhor (Salmos 116.12,13,14).              Carloman Otaviano - Natal / RN / Brasil

Não é o tamanho que define a eficácia.

 - Os apóstolos disseram ao Senhor: "Aumenta a nossa fé!" - Ele respondeu: "Se vocês tiverem fé do tamanho de uma semente de mostarda, poderão dizer a esta amoreira: 'Arranque-se e plante-se no mar', e ela lhes obedecerá", São Lucas 17.5 e 6.


Os discípulos estavam interessados em ter uma fé grande; que fosse notável, elogiável. Bem parecido com alguns "notáveis" de hoje. Mas Jesus queria que eles tivessem uma grande fé.

Assim Ele disse que Deus vê a intensidade, e não o tamanho da fé. E mostrou como exemplo a semente da mostarda, uma das menores sementes que existe. Mas que tem vida, quando plantada, morre (se anula), rompe a terra e se torna uma grande árvore. O tamanho dessa semente fala de humildade, da certeza de que é pequena, e que só pode ser ou fazer alguma coisa estando nas mãos de Deus.

Não se preocupe se sua fé parece ser ou é pequena. Apenas coloque-a nas mão do Senhor, como se colocasse uma semente na terra. Depois, apenas espere que Deus vai fazer brotar, e vai fazer crescer o que você está precisando. Mas por favor, quando vierem os frutos lembre que foi Deus quem fez através de sua fé, não foi a sua fé que fez, como ensinam alguns.

Que nossa pequena fé esteja sempre nas não de Nosso Senhor!

Carloman Otaviano - Natal / RN / Brasil

Tudo é uma questão de escolha! 

- "Nenhum servo pode servir a dois senhores; pois odiará a um e amará ao outro, ou se dedicará a um e desprezará ao outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro", São Lucas 16.13.

No capítulo 16 o evangelista nos mostra como Jesus trata da boa convivência com os bens materiais. Primeiro vemos um mau administrador dos bens de seu senhor que recebeu a devida punição de seus atos; depois o mau comportamento de líderes religiosos em relação aos bens materiais;  e finalmente vemos que do outro lado da vida os bens materiais não tem qualquer valor. 
Mas dos 31 versículos desse capítulo o que me chama a atenção é o 13*, pois mostra que não podemos ficar em cima do muro quando o assunto é a escolha de um amo. 
Ou servimos a Deus e utilizamos os bens terrenos de forma sábia, ou servimos a Mamom (deus das riquezas da terra) e usamos Deus apenas para nos dá o que desejamos.
Mas devemos ter muito cuidado com o que escolhermos,  pois os bens terrenos são da terra e ficam aqui na terra quando morrermos.

Que o Eterno Deus nos ajude nessa escolha...
Carloman Octaviano - Natal / RN / Brasil