avozmissionaria@hotmail.com

Pesquisar este blog

Postagem em destaque

Lista de Dirigentes de Congregações - 2017 da IEADERN

Veja a Lista de Coordenadores de cada Setor e Dirigentes de Congregações em Natal-RN pela Igreja Evangélica Assembléia de Deus no estado do...

Belarus (País Perseguido 42/2012)



A liberdade de culto, expressão e reunião é limitada. Há muito preconceito contra os protestantes por considerarem uma religião norte-americana


A Igreja
A presença cristã no país remonta à história e trajetória da igreja cristã ortodoxa. Em 1595/1596, um grupo significativo da Igreja Católica Bizantina Bielorrussa entrou em comunhão com a sede da Igreja em Roma, consolidando-se ali. Posteriormente, porém, separou-se da Igreja de Roma, negando-se a se submeter ao papado romano.
Apenas 50% dos bielorrussos se declaram religiosos. Isso pode ser visto claramente na Igreja Ortodoxa. De seus 7,6 milhões de fiéis, apenas 18% frequentam os cultos. Ela possui a maior parte dos edifícios e instituições religiosas de Belarus.
A Igreja Católica Romana é a segunda maior comunidade do país, com cerca de 50% dos fiéis assíduos às missas. Ela possui mais de 400 organizações registradas. Existe também a Igreja Católica Grega, com menor número. A comunidade evangélica é diversa. Há grupos que se separaram da Igreja Ortodoxa, chamados de velhos crentes.
Há denominações tradicionais, como batistas, luteranos, presbiterianos, a Igreja Reformada, e a Igreja Neo-Apostólica. Existem congregações pentecostais também, como a Igreja do Evangelho Pleno, a Igreja de Cristo e grupos menores.
A perseguição Religiosa
A lei requer que todos os grupos religiosos obtenham permissão do governo para importar e distribuir materiais impressos. Também é requerido que todos os grupos registrados antes de 2004 peçam o registro novamente. Qualquer atividade religiosa não registrada é proibida. Pode levar anos até que o governo registre as propriedades de comunidades religiosas.
A lei também confina a atividade de comunidades religiosas ao templo registrado. Os requerimentos para obter o registro são muito complexos, tanto para os grupos "tradicionais" como para as "seitas".
A Constituição prevê a igualdade entre as religiões e denominações, mas contém linguagem que estipula a cooperação entre o Estado e as organizações religiosas: "(...) é regulamentada no que diz respeito à sua influência na formação espiritual, cultural e tradições do país e do povo bielorrusso." A lei sobre religião oferece a liberdade de religião, porém o governo restringiu esse direito na prática.
O governo continuou a restringir a liberdade religiosa durante o período de utilização das disposições da lei de religião, para dificultar ou impedir as atividades de grupos que a Igreja Ortodoxa da Bielorrússia (COB), que tem status especial em virtude de um acordo com o governo, considera perigosos. Em particular, a lei restringe a capacidade das organizações religiosas em ministrar educação religiosa, requerendo a aprovação do governo para importar e distribuir literatura.
História e Política
Localizado no Leste Europeu, Belarus, também chamado de Bielorrússia, faz fronteira com a Polônia, a Lituânia e a Rússia. Sem saída para o mar, o país possui 11 mil lagos, formados pelo degelo das montanhas, que contrastam com a planície no restante do seu território. O nome do país significa “Rússia Branca”.
A origem de Belarus remonta aos principados eslavos que se estabeleceram a partir do século VII. Quatro séculos depois, submeteram-se à cidade-estado de Kiev, o primeiro estado eslavo do Oriente, que posteriormente deu origem à Rússia. Após a morte de seu regente, o Príncipe Yaroslav, o Sábio, em 1054, o reino Rus 'de Kiev foi dividido em principados, cada um centrado em uma cidade diferente.
Em 1240, após a derrubada do tártaro Kiev, o principado dominante da Rus 'de Kiev, na Bielorrússia e parte da Ucrânia, ficou sob o controle da Lituânia.  O estado resultante recebeu o nome de Grão-Ducado da Lituânia. Os territórios habitados por eslavos orientais eram compostos de 90% do Grão-Ducado, tendo exercido uma grande influência cultural sobre o novo estado.
Nos séculos seguintes, a Bielorrússia foi invadida por tártaros da Mongólia, lituanos e poloneses. No século XVIII, foi anexada ao Império Russo, tornando-se uma das repúblicas soviéticas em 1919, até enfim emergir como país independente, em 1991.
Durante a Segunda Guerra Mundial, a Bielorrússia foi invadida pelos nazistas e perdeu pouco mais de 2 milhões de sua população judaica.
Desde sua eleição em julho de 1994, como primeiro presidente do país, Alexander Lukashenko vem consolidando seu poder por meio de medidas autoritárias. As restrições do governo à liberdade de expressão e imprensa ainda vigoram no país.
População
A maior etnia do país é a bielorrussa, compõe cerca de 80% da população total; outros grupos étnicos estão presentes no país: russos, poloneses e ucranianos.
Economia
A Bielorrússia passou por reformas estruturais limitadas desde 1995, quando o Presidente Lukashenko lançou o país no caminho do "socialismo de mercado". Em consonância com esta política, Lukashenko restabeleceu os controles administrativos sobre preços e taxas de câmbio, expandindo o direito do Estado de intervir na economia e nas empresas privadas.
Desde 2005, o governo renacionalizou uma série de empresas privadas. Além disso, as empresas têm sido submetidas a pressões por parte dos governos central e local, incluindo mudanças arbitrárias de regras, inúmeras inspeções rigorosas, aplicação retroativa das regras de negócio e detenções "perturbadoras" de empresários e proprietários de fábricas.
O contínuo controle estatal sobre as operações econômicas dificulta a entrada das empresas no mercado, tanto nacionais como estrangeiras. Historicamente, os segmentos mais importantes da economia bielorrussa são a indústria textil e a madeira.

0 comentários:

Postar um comentário