avozmissionaria@hotmail.com

Pesquisar este blog

Postagem em destaque

Nove entre dez brasileiros atribuem a Deus sucesso financeiro

Nove entre dez brasileiros dizem que seu sucesso financeiro se deve a Deus, mostra pesquisa Datafolha. A porcentagem supera 90% ent...

O VALOR DE UMA MÃE





No segundo domingo de maio, em grande parte dos países do mundo, comemora-se o "Dia das Mães". Segundo a História, foi na Inglaterra, que se deu início a algum tipo de homenagem às mães, quando o governo oficializou um dia feriado, permitindo que as operárias inglesas tivessem folga para ficar ao lado de suas mães.

Em 1872, nos Estados Unidos, a escritora Júlia Ward Howe, autora do hino nacional, sugeriu que fosse criada uma data especial, em homenagem às mães. No entanto, somente em 1907, uma jovem, chamada Ana Jarvis, da Filadelfia, deu início a uma campanha para instituir o Dia das Mães, motivada pela morte de sua mãe, que lhe
causou profunda tristeza. Suas amigas, preocupadas com o estado emocional da jovem Ana, resolveram ajudá-la na festa, em memória de sua mãe, e a jovem entendeu que deveria ser uma homenagem a todas as mães de seu país.

Assim, a idéia tomou conta de todo a nação, e o presidente Wilson oficializou o dia 9 de maio como sendo o Dia das Mães, nos Estados Unidos.

No Brasil, o Dia das Mães é celebrado no segundo domingo de maio, conforme decreto assinado em 1932 pelo presidente Getúlio Vargas. Em nosso país, esta data tem sido consagrada, e comemorada no segundo domingo da maio. É sempre um motivo para festas, promovidas pelos filhos, pelas família, pelas igrejas, pelas escolas e clubes, em homenagem às mães.

A Bíblia diz: "Examinai tudo. Retende o bem"1 Ts 5.21). Examinando o significado da comemoração do "Dia da Bíblia", podemos verificar que é bom valorizar esse Dia, aproveitando para agradecer a Deus pela existência das mães. Foi Deus quem criou a mãe. Diz o gênesis: "Portanto, deixará o homem seu pai e sua mãe..." (Gn 2.24) para unir-se com sua esposa, que se tornará mãe, também, dando lugar ao maravilhoso processo da procriação, gerando novos seres humanos, que habitarão o planeta terra. A verdadeira mãe é vista, na Bíblia, como de grande valor: "Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor excede muito o dos rubis" (Pv 31.10). Infelizmente, a sociedade sem Deus, materialista e hedonista, vê o contrário: Os rubis (ou diamantes) valem muito mais que uma mulher, que uma mãe. 

E também muitas mulheres preferem a glória dos rubis, ou dos diamantes, ao papel de ser mãe. O sonho de grande parte das adolescentes e jovens, no mundo, não é ser mãe.É ser "modelo". Mas que modelo? O que se vê são "modelos" de vaidade, de orgulho, de amor à fama e ao dinheiro, mesmo à custa de regimes radicais, à base da anorexia e da bulimia.É a inversão de valores.

A Bíblia, a Santa palavra de Deus, muito valor dá à mãe. A maternidade sempre foi exaltada no livro sagrado. No AT, ter filhos era algo sagrado, considerados uma bênção de Deus. Deus abençoou Sara, esposa de Abraão, dando-lhe um "filho da promessa", Isaque (Gn 17.15,16). Raquel, esposa de Jacó, clamou: "Dá-me filhos, se não eu morro" (Gn 30.1).
Ana, mulher de Elcana, era estéril, "com amargura de alma, orou ao Senhor", e fez um voto ao Senhor de lhe entregar o filho que nascesse para o Seu serviço. E cumpriu o seu voto, quando teve o menino Samuel (1 Sm 1.10,11, 20).
No Novo Testamento, vemos Deus valorizando a maternidade. Ele escolheu uma jovem, talvez de seus dezoito a vinte anos, para, em seu ventre, fazer nascer, por obra e graça do Espírito Santo, o Salvador do mundo – Jesus (cf. Lc 1.28). Ele, sendo Deus, tornou-se filho de uma mulher; sendo Deus, tornou-se embrião, feto, nascituro; sendo Deus, tornouse criancinha nos braços de Maria; precisou das mãos dela; do seio materno; do seu colo; do seu carinho; do seu cuidado; do seu afago; do seu zelo; do seu amor materno. Isso é ser mãe.

Maria foi um exemplo perfeito do que é ser mãe. Ser mãe não é apenas gerar um filho no ventre, e colocá-lo no mundo. Isso é ser genitora. Ser mãe é amar, zelar, cuidar, educar, orientar, proteger, e encaminhar o filho ou a filha para a vida no mundo, no meio da sociedade, no meio da igreja, e, sendo mãe cristã, além de tudo isso, é encaminhar o filho ou a filha aos pés do Senhor, dando-lhe a maior e melhor das educações, que é a educação cristã, fundamentada na Santa palavra de Deus. Isso é ser mãe cristã! Que o Senhor abençoe mais e mais a todas as mães cristãs, que cumprem seu sublime papel de guardiães de vidas preciosas, ao lado dos verdadeiros pais cristãos.

Elinaldo Renovato de Lima - Pastor


0 comentários:

Postar um comentário