avozmissionaria@hotmail.com

Pesquisar este blog

Postagem em destaque

Lista de Dirigentes de Congregações - 2017 da IEADERN

Veja a Lista de Coordenadores de cada Setor e Dirigentes de Congregações em Natal-RN pela Igreja Evangélica Assembléia de Deus no estado do...

O Anticristo foi predestinado para ser o Anticristo?



Um leitor me perguntou, nas redes sociais: “O Anticristo já está predestinado à perdição e não poderá mudar essa condição?” Em outras palavras, o Anticristo já nascerá como tal, visto que foi predestinado para sê-lo, ou se tornará o Homem do Pecado por sua própria escolha? Como a Bíblia é análoga, o caso de Judas pode nos ajudar a responder a pergunta em tela. Afinal, Judas já nasceu traidor? Era inevitável que ele traísse o Senhor? Ou ele escolheu, livremente, fazer isso?

Quando estudamos a Palavra de Deus atentamente, considerando a analogia geral das Escrituras, vemos que tanto a profecia escatológica a respeito do Anticristo como a relacionada com Judas, no passado, aludem a quem escolhe, livremente, o caminho do mal. Judas não foi uma “figurinha carimbada”, pois isso contraria as Escrituras. Se Deus criou seres morais, livres, dotados de intelecto, sentimento e vontade, capazes de escolher, antes e depois da Queda (cf. Lc 9.23; Jo 3.16; Ap 22.12), por que Ele faria alguém nascer marcado para cumprir uma missão do mal e já destinado de antemão à condenação, sem ter a oportunidade de se arrepender de seus pecados?

As Escrituras mostram que Judas se tornou o traidor porque ele “se desviou” (Sl 55.13-15; At 1.25; Jo 17.12). E o mesmo se aplica ao Anticristo, um homem que não nascerá predestinado para ser o inimigo de Cristo, mas se tornará o Anticristo por sua própria escolha. Deus é presciente; Ele sabe o fim antes do começo. Não obstante, isso não significa que Judas traiu o Senhor Jesus porque estava “programado” para fazer isto, como se fora um ser autômato. Ele traiu o Senhor porque escolheu livremente o caminho do erro. Da mesma forma, o Anticristo, um homem pecador de nascimento como qualquer outro, terá oportunidade de escolher entre a vida e a morte (cf. Dt 30.19), e escolherá o caminho do mal, tornando-se o Homem do Pecado.

Não há traidores, anticristos ou escarnecedores de nascimento, e sim pessoas que se tornam isto ou aquilo (cf. 2 Pe 2; Hb 3.12-14). A predestinação quanto ao Anticristo e o Falso Profeta, as duas Bestas mencionadas em Apocalipse 13 e 2 Tessalonicenses 2, não recai sobre pessoas em específico, “carimbadas”, predestinadas para fazer o que é errado e destinadas de antemão ao Inferno. A predição sobre a vinda do Anticristo diz respeito a um homem que fará o mal voluntariamente, ao escolher o caminho do mal, e não porque já nasceu “carimbado”.

Pedro e Judas, por exemplo, que faziam parte do seleto grupo dos doze apóstolos, traíram o Senhor Jesus. O primeiro, aliás, pecou tanto quanto o segundo! De acordo com a Palavra do Senhor, Pedro negou, mentiu, jurou e praguejou. Entretanto, diferentemente de Judas, que teve um arrependimento parcial, meramente emocional — um remorso, por assim dizer —, Pedro se arrependeu, de fato. E seu arrependimento, tal como o do filho pródigo, abarcou intelecto, sentimento e vontade (cf. Mt 26.69-75; Mc 14.66-72; Lc 22.54-62; Jo 18.15-27).

Paulo também não nasceu um anticristo, mas se tornou um inimigo de Cristo, um perseguidor da Igreja, para o qual Jesus disse: “Saulo, Saulo, por que me persegues?” (At 9.4). Embora, antes de se converter, Paulo (Saulo) fosse um anticristo, ele se arrependeu de seus pecados, ao contrário de Judas. Um texto que corrobora a presente argumentação é 1 João 2.18: “Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos; por onde conhecemos que é já a última hora”. Observe: “muitos se têm feito anticristos”, e não “muitos predestinados para ser anticristos estão surgindo”. 


Ciro Sanches Zibordi

0 comentários:

Postar um comentário